Celebrando os 475 anos da expedição de Álvar Núñez Cabeza de Vaca no vale do rio Itapocu

Celebrando os 475 anos da expedição de Álvar Núñez Cabeza de Vaca no vale do rio Itapocu
Clique na imagem acima para ser redirecionado na página do JDV - Jornal do Vale do Itapocu / Jornal de Bairros (17/11/2016), páginas 6 e 7.

Programa Cidade em Ação (06/07/2016) - TV Cidade de Joinville / SC.

Redescobrindo o Itapocu - Documentário Completo

Documentário - Redescobrindo o Itapocu (Teaser)

Visite também o blog: Arqueologia no vale do rio Itapocu.

Visite também o blog: Arqueologia no vale do rio Itapocu.
Clique na imagem acima para ser redirecionado

Seguidores

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Reconstituição historiográfica da expedição de Alvar Núñez Cabeza de Vaca (Parte 1).

Desculpem por demorar em divulgar este tópico. Porém estou em fase de finalização do documentário sobre o assunto e demais projetos pessoais. Logo estarei divulgando o conteúdo deste tópico na íntegra. Mas pra quem quiser ver um pouco desta reconstituição historiográfica da expedição de Alvar Núñez Cabeza de Vaca, encaminhei por e-mail uma parte deste tópico ao historiador e professor da cidade do Maringá-PR Sergio Alvarez da Silva (Professor Heroi), fazendo alguns esclarecimentos da passagem da expedição de Alvar Núnez Cabeza de Vaca sobre as Cataratas do Iguaçu em 1542. O link se encontra abaixo:

http://professorheroi.blogspot.com/2011/07/sugestao-e-correcao-historica-dos-fatos.html


Aproveitando este tópico enquanto a reconstituição ainda não é divulgada, nas documentações pesquisadas sobre a expedição de Alvar Núñez Cabeza de Vaca (desde a chegada ao Brasil até a caminhada pra Assunção no Paraguai entre novembro de 1541 a março de 1542), entrou sem querer nesta reconstituição outro acontecimento histórico ocorrido anos depois desta expedição, mas que em primeira mão estarei divulgando neste blog antes mesmo do lançamento do documentário no final deste ano e do livro em 2012.
Trata-se do trecho da "carta do padre Jerônimo Rodrigues ao padre provincial da Companhia de Jesus Fernão Cardim" (que se encontrava no litoral paulista), escrito na Lagoa dos Patos no dia 26 de novembro de 1605.
Nesta carta também conhecida como "Relação ou Crônica da missão dos carijós" e "A missão dos carijós", o padre Jerônimo conta os acontecimentos de sua viagem pelo sul do Brasil juntamente com o padre João Lobato e durante a passagem deles pelo litoral norte de Santa Catarina (ilha de São Francisco do Sul), o mesmo deixa o seguinte relato. OBS: esclarecimentos dos lugares e valores entre parênteses.

"Sahidos deste rio (rio de São Francisco ou canal do Linguado), & caminhando obra de duas ou tres legoas (11 a 16,5 quilômetros) demos noutro que chamaô Itapocu, pelo qual deceo antigamente Gaspar hortuna, q he hú velho que mora na praya de Itanhahé (Itanhaém-SP) o qual veio de Piqueri (rio do interior do Paraná) atrauessando todos aquelles Carijós, Como delle me informei, & ajuntãndos a estes que por aqui ha visinhos, & auendo mantimentos por este rio cõ o fauor divino auemos de fazer entrada até onde elees viuem".


Trecho da carta do padre Jerônimo Rodrigues ao padre provincial da Companhia de Jesus Fernão Cardim, escrito na Lagoa dos Patos no dia 26 de novembro de 1605.



Sobre o velho mencionado pelo padre Jerônimo Rodrigues chamado Gaspar Hortuna, o pouco que se tem historicamente deste personagem é que trata de um espanhol que já morava na praia de Itanhaém em 1603 (mas se encontrava no litoral sul brasileiro há muitos anos atrás com os carijós) e tinha licença e ordens do governo do Paraguai e Rio da Prata da época Hernandarias de Saavedra (neto de dona Méncia Calderón) pra chegar à costa brasileira. Esta autorização para a viagem com os carijós teria ocorrido após 1592 quando Hernandarias de Saavedra assume o governo do Paraguai. Nesta caminhada, Gaspar Hortuna passou pelo interior do Paraná na região do rio Piquiri e atravessando com os carijós de oeste a leste todo o planalto, chegaram ao litoral catarinense descendo a serra do mar pelo rio Itapocu (como relatou o próprio Gaspar Hortuna ao padre Jerônimo Rodrigues quando de passagem por Itanhaém no final de março de 1605 em "missão aos carijós" do sul do Brasil). Na carta, o padre comenta apenas que Gaspar Hortuna teria saído da região do rio Piquiri, dando a entender que este apenas residia por lá. Coincidência ou não, justamente nesta época que a primeira Villa Rica del Spíritu Santo foi transferida da região do rio Piquiri (rio Cantú, afluente deste) cerca de 100 quilômetros ao norte na foz do rio Corumbataí com o rio Ivaí em 1589. Em relação ao rio Itapocu, o padre Jerônimo Rodrigues afirma ainda que neste rio há mantimentos para uma eventual oportunidade de se fazer uma caminhada (subindo o rio) para visitar os carijós que se encontram no planalto.
Pra complementar rapidamente sobre o espanhol Gaspar Hortuna, na lista de passageiros da expedição de Alvar Núñez Cabeza de Vaca de 1540, se encontra na lista o nome de "Gaspar Ortuño, hijo de Lorenzo Ortuño, vecino de Villardonpardo". O mesmo Gaspar (de) Hortuño (seria, portanto, Gaspar Hortuna) matou em 1549 o compatriota Miguel Santos por ter atentado contra sua vida em Assunção no Paraguai.
Fazendo um resumo histórico dos acontecimentos, o Peabiru do ramal do Itapocu ainda era utilizado pelos desbravadores da coroa espanhola no final do século XVI como uma via de comunicação muitos anos depois das expedições de Aleixo Garcia, Cabeza de Vaca e Sanabria que entraram pelo interior do continente pelo rio.
Esta carta de 26 de novembro de 1605 e outra carta complementar de 11 de agosto de 1606 se encontram "resumidas" pelo padre Fernão Guerreiro no livro: "Relaçam annal das cousas que fezeram os padres da Companhia de Iesus nas partes da India Oriental, & em alguas outras da conquista deste reyno no anno de 606. & 607. & do processo da conversao, & christandades daquellas partes", publicado em 1609 pelo padre Fernão Guerreiro, livro 04, páginas 196 a 201 (disponível gratuitamente pra download no canto esquerdo deste blog).

Nenhum comentário: